10 maneiras de consumir mais probióticos

Melhoria nas funções intestinais e proteção imunológica são alguns dos benefícios dos 10 maneiras de consumir mais probióticos, as bactérias amigas do organismo

O termo probiótico deriva do grego e significa “pró-vida”. São microrganismos vivos naturalmente encontrados no intestino e que trazem benefícios ao organismo, como por exemplo a proteção contra agentes infecciosos, prevenção de doenças e a preservação da flora intestinal.

A má alimentação, problemas intestinais, uso crônico de antibióticos e laxantes podem prejudicar a flora intestinal reduzindo consideravelmente o número de bactérias probióticas no intestino. Nestes casos a suplementação e a inserção de alimentos ricos em probióticos na dieta se tornam necessárias. Saiba o que são, onde são encontrados e como incluir em sua alimentação os alimentos probióticos.

O que são probióticos?

Segundo a nutricionista e personal diet Flavia Germinari, “os probióticos podem ser definidos como microrganismos vivos capazes de beneficiar o hospedeiro através do equilíbrio da flora intestinal”.

Para Flavia, “cerca de 80ml de fonte de probióticos duas vezes ao dia (totalizando 160ml por dia), já promovem benefícios”. A nutricionista Tatiana Hirooka Guerra orienta ainda que “a dose necessária varia entre 1–10 bilhões de ufc/dose (Unidades Formadoras de Colônia – em torno de 100 milhões de bactérias probióticas)”. A maioria dos iogurtes e leites fermentados garante essa dose em cada embalagem.

Onde os probióticos são encontrados?

“Os probióticos estudados e utilizados em humanos são bactérias láticas (Lactobacillus, Bifidobacterium, Streptococcus e Enterococcus) e leveduras (Saccharomyces boulardii), encontrados normalmente no leite, leites fermentados, iogurtes e coalhadas”, afirma Flavia.

É importante lembrar que por serem derivados de leite, esses alimentos contém altas concentrações de gordura, sendo assim, sugere-se optar por alimentos com contrações reduzidas de gordura e açúcar, para evitar o desequilíbrio do peso.

Além disso, Tatiana orienta que atualmente, existem no mercado “comprimidos, cápsulas e sachês que contêm a bactéria na forma liofilizada, que não necessitam de refrigeração para se manter vivas ao contrário das bactérias encontradas nos leites fermentados ou iogurtes que podem ser perdidas se não estiverem sob refrigeração”.

FOTO: THINKSTOCK

Apesar do aumento da disponibilidade e do fácil acesso a esses alimentos, o consumo não deve ser indiscriminado, pois cada gênero atua de forma distinta. Abaixo você confere dez sugestões de alimentos ricos em probióticos para incluir em sua alimentação.

1. Iogurte: No iogurte o açúcar é transformado em ácido láctico através da fermentação bacteriana. Seu consumo é muito recomendado devido às propriedades nutricionais que possui e aos fermentos lácteos presentes na composição.

2. Leite Fermentado: Alimento obtido através da fermentação láctea por fermentos próprios. Na sua produção, ocorre uma diminuição do pH do leite. É considerado um alimento funcional e contém probióticos em quantidade considerável.

3. Queijo: Alimento feito a partir da coagulação do leite através de culturas bacterianas que transformam os açúcares do leite em ácido láctico, assim como ocorre no iogurte. Além de ser rico em probióticos, o queijo é um bom complemento alimentar, rico em proteína, cálcio e fósforo.

4. Coalhada: Coalhada ou leite coalhado é a parte sólida, resultante da coagulação do leite. Contribui para o equilíbrio da flora intestinal promovendo a sua regularidade. É muito rica em probióticos.

5. Chucrute: O chucrute é uma conserva de repolho fermentado. Além de ser fonte de vitamina C também tem grande quantidade de probióticos. A receita mais tradicional de preparação é a que utiliza apenas repolho, água e sal.

6. Missô: Missô é um ingrediente tradicional da culinária japonesa feito a partir da fermentação do arroz, cevada e soja com sal. O resultado é uma pasta usada principalmente para fazer a sopa de missô. Devido ao processo de fermentação também é rico em probióticos.

7. Molho shoyu: O molho shoyu é fabricado a partir de uma mistura de grãos de soja fermentados por microrganismos. Pode ser utilizado para temperar saladas e na preparação de alguns pratos.

8. Kefir: Diferentemente do iogurte que é fermentado apenas por lactobacilos, o kefir é fermentado por trinta e sete tipos diferentes de microorganismos em sua colônia, incluindo as leveduras o que garante um alimento rico em probióticos.

9. Cápsulas Probióticas: Hoje estão disponíveis no mercado uma série de complexos ricos em bactérias probióticas. São indicados para quem tem dificuldades em inserir na alimentação os alimentos lácteos. Um ponto positivo é que as cápsulas não precisam de refrigeração. O consumo deve ser feito sob orientação médica.

10. Probióticos solúveis: Assim como as cápsulas, os probióticos solúveis também têm se tornado populares. O preparo se dá como os sucos instantâneos, basta misturar o conteúdo do sachê em 200ml de água. Prometem suprir a necessidade diária de probióticos do organismo.

Além dos alimentos citados acima, atualmente exitem estudos recentes que associam o consumo de maionese, carnes, patês, extratos de sementes vegetais e peixe ao aumento de probióticos no organismo.

Quais os benefícios dos probióticos no organismo?

FOTO: THINKSTOCK

Na medicina, os probióticos são usados na prevenção e tratamento de doenças. Segundo a nutricionista Tatiana, vários estudos relatam os benefícios atribuídos aos probióticos na preservação da integridade intestinal e atenuação dos efeitos de doenças intestinais, como diarréia e doença intestinal inflamatória. “Há ainda evidências de que os probióticos estimulem a resposta imunológica, na modulação de reações alérgicas, na melhoria da saúde urogenital de mulheres e nos níveis sanguíneos de lipídeos”, acrescenta.

A síntese de vitaminas do complexo B, absorção de cálcio, como imunomoduladores, a inibição da carcinogênese (tumores), a redução das concentrações de colesterol, e aumento da tolerância e digestibilidade da lactose também são alguns benefícios citados pela nutricionista Flavia.

Apesar dos muitos benefícios para a manutenção da saúde, o consumo de probióticos deve estar associado a hábitos de vida saudáveis. Converse com seu nutricionista ou médico antes de fazer qualquer alteração na sua alimentação. Siga uma dieta equilibrada e pratique exercícios físicos regularmente.

FOTO: THINKSTOCK

Thalita Vitoreli

Related posts:

julio tafforelli

Engenheiro químico, estudou psicanálisedurante vários anos e outrs terapia altenativas foi atendente no CVV. Conhece bem a índole humana e os caminhos de mudança interior. Pratica meditacão

error: Content is protected !!